publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 31 Julho , 2007, 21:13

 

Chegaram a 30 de Julho, vindos de Setúbal. São cerca de 50 escuteiros, pertencem à Paróquia de S. Paulo e estão encantados com o local onde vão estar acampados até 7 de Agosto. Nem mais nem menos que bem junto ao rio, na Várzea da Vila.
 
Claro, como bons escuteiros distribuem as tarefas diárias e nenhum deles as recusa, seja rapaz, seja rapariga, desde os mais novos com 6 anos até aos mais velhos com 17.
 
Mas ainda lhes sobra tempo para muitas coisas como jogos, canoagem e passeios em itinerários da serra. E até para um “Fogo de Conselho”, uma espécie de récita, onde exibem dotes artísticos na área do canto da música e do teatro.
 
Boa estadia e voltem sempre.
 
 
 
 
 
 
Nuno Espinal/Carla Marques

publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 31 Julho , 2007, 16:31
 
 
Hospital de Cuidados Continuados já entrou em funcionamento
Pretende afirmar-se como unidade de referência ao nível dos cuidados continuados. Falamos do Hospital Dr. Fernando Vale, um projecto da Santa Casa da Misericórdia de Arganil, que entrou agora em funcionamento

Inaugurado em Novembro do ano passado, o Hospital de Cuidados Continuados Dr. Fernando Vale, da Santa Casa da Misericórdia de Arganil, entrou em funcionamento em meados do corrente mês. Segundo Nuno Gomes, o tempo que medeou entre a inauguração desta unidade de acamados e a sua entrada em funcionamento deveu-se apenas à espera pela assinatura dos protocolos entre as entidades prestadoras de serviços e o Estado que entretanto foram definidas.
Com capacidade para 24 utentes, por enquanto são sete os que se encontram instalados naquela infra-estrutura, porém, o director-geral da Santa Casa da Misericórdia de Arganil espera que até ao próximo mês a capacidade desta infra-estrutura seja atingida na totalidade. De momento os doentes ali acomodados são oriundos de concelhos relativamente próximos, como Góis, Lousã, Penacova, Miranda do Corvo, Aveiro e mesmo de Arganil, no entanto, e porque esta unidade se encontra inserida na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, pode acolher utentes oriundos de qualquer ponto do país, estando as admissões desses mesmos doentes a cargo da ECL - Equipa Coordenadora Local, sedeada na Lousã.
«A admissão de utentes depende da ECL e não directamente da Santa Casa, que é a entidade prestadora de serviços, e, como tal, recebe o utente e presta os serviços programados no âmbito da Rede Nacional de Cuidados Continuados», reafirma Nuno Gomes ao nosso Jornal. Os critérios para efectuar essa triagem são «pré-definidos em regulamento e legislação próprios, sendo que um dos critérios preferenciais é a área de proveniência», explica o director-geral da Santa Casa da Misericórdia de Arganil, acrescentando que «actualmente está a dar-se preferência à região onde se localiza a unidade de cuidados continuados, mas pode receber utentes de qualquer ponto do país». A unidade conta com duas tipologias de internamento, para as quais existem 12 camas disponíveis, nomeadamente de média duração e reabilitação, um período que vai até 90 dias e de longa duração, um período superior a 90 dias.
Nuno Gomes explica-nos que a tipologia de internamento de média duração e reabilitação está vocacionada para «uma transição do paciente com grandes perspectivas de regresso à sua residência habitual», e por seu lado a de longa duração, muito embora não seja para «manter indefinidamente o doente internado», a sua estadia «está um pouco dependente da sua situação, em termos de autonomia no futuro». De acordo com aquele responsável, geralmente quem se insere nesta tipologia são cidadãos «mais idosos que muitas vezes têm o seu regresso a casa condicionado pela ausência de condições habitacionais face à patologia que naquele momento detêm».

Mais-valia para Arganil
e para a região

Refira-se que esta infra-estrutura criou 10 postos de trabalho directos e outros 10 indirectos, equipa definida por Nuno Gomes como tendo um «perfil jovem, dinâmico, sem esquecer a presença de elementos com grande experiência local». O investimento em equipamento também foi «considerável» e segundo o técnico superior de Serviço Social «continuará a verificar-se, à medida em que a experiência resultante do funcionamento da estrutura venha a identificar novas necessidades nessa matéria».
Para o director-geral da Santa Casa da Misericórdia, a abertura desta unidade para o concelho de Arganil «tem um impacto significativo, não só pela criação de postos de trabalho, como também como promotor do desenvolvimento local e como valorizador da imagem do concelho», algo que no entender de Nuno Gomes, «é significativo nos tempos que correm, em que assistimos a reformas em todos os sectores de actividade do Estado».
Por outro lado, enfatiza ainda, «é uma mais-valia também para a região, na medida em que contribui para a fixação de recursos humanos especializados e promove uma coesão do interior do país, num momento em que assistimos a uma desertificação dos concelhos do interior». Além disso, acrescenta ainda Gomes, «também surge enquadrada numa política nacional de reforma de áreas de intervenção do Estado, contando Arganil com este pólo associado ao Centro de Saúde que já existe».
Por tudo isto, Nuno Gomes mostra-se confiante que o concelho «terá todos os motivos para se orgulhar de ter aqui uma unidade destas a funcionar», afirmando que o desejo da instituição é «que venha a ser um pólo de referência pela qualidade na Rede Nacional de Cuidados Continuados». Além disso e enquanto «elemento que integra os quadros da Santa Casa», o director-geral espera que esta unidade «venha a ser um sucesso e a valorizar o concelho». Por outro lado espera que «venha também contribuir para o desenvolvimento local e nacional, que seja reconhecido pela comunidade como sendo um serviço de referência», reafirmou.  
           
 
 
 
 
 
 
                                                                                      Isabel Duarte
                                                                                  In Diário de Coimbra
 
 
 
 

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Julho 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13


24
26
28



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds