publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 17 Maio , 2007, 23:18

 

 

Dantes era assim: as famílias, lá pela tardinha, dirigiam-se às fazendas onde merendavam. Entretanto, apanhavam espigas de trigo e compunham-nas em ramos com folhagem de oliveira e flores do campo, como malmequeres.
Hoje, exceptuando-se um caso ou outro, dificilmente as famílias têm oportunidade de se reunir. A emigração separou pais de filhos e os horários laborais não se compadecem com a festa da espiga. Mas, ainda assim, a tradição não deixa de se satisfazer. Não há famílias que se possam juntar, é um facto, mas nada impede que se constituam grupos, indistintamente da consanguinidade ou parentesco. E foi o que aconteceu com os nossos idosos do Centro de Dia. Levados nas carrinhas da Santa Casa, fizeram a festa nos terrenos do Alqueidão. Boa merenda e, claro, lá apanharam os ramos da tradição. Na espiga o pão, na oliveira a paz e nas flores a alegria.
 
Que tudo se cumpra. Assim seja.
 
 
 
 
 
 
Texto: Nuno Espinal
Fotos: Carla Marques

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 17 Maio , 2007, 23:14

 

 

 

Os dois tocam trompete, os dois têm 14 anos e os dois são estudantes.
Ele é o Jonathan Philippe da Silva, de Vila Cova e ela a Daniela Alexandra Madeira da Costa, de Deflores.

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Maio 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

19


27


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds