publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 12 Março , 2007, 00:07

Formoselha, de tão Formosa, inspirou Helder Esculcas

Numa equipa de futebol de amadorismo puro (ou outra fosse a modalidade) há que realçar o espírito colectivo, o qual é determinante para a própria existência e justificação do grupo. Sem este espírito, sem este sentimento de totalidade, sem este sentir que o grupo é um “nós”, dificilmente este agregado de jogadores estaria presente, com a responsabilidade de cumprir, treino a treino, jogo a jogo.
Mas, mesmo amadores que sejam, os jogadores do Vilacovense perseguem objectivos, que não só, ainda que a atitude desportiva seja relevante, os de uma mera prática desportiva. E esses objectivos passam pelos resultados desportivos, fruto do esquema competitivo em que participam. Daí que a vitória seja sempre de saudar. E se a vitória, quando acontece, é de todo o colectivo, não há que ignorar, por discriminação positiva, quem, de entre todos, possa, eventualmente,  ter tido, para o seu alcance, um contributo decisivo e superior. O caso do jogo de ontem tem, neste aspecto, um nome a considerar. Referimo-nos a Hélder Esculcas, o nosso guarda redes, a quem o Vilacovense muito deve a vitória alcançada contra o Formoselha.
Grande exibição, a negar, ao Formoselha, o golo que por vezes parecia eminente.

Guarda-redes: Helder Esculcas;
Defesas: Fábio Leitão, Fernando Ribeiro, Kikas e Valter;
Médios: Marco Paulo, Carlos Gomes (capitão), Sérgio Gaspar e Marco Gonçalves;
Avançados: Luis Carlos e António Assunção (substituído aos 50 minutos 
por Rui Madeira).
 
Treinador: José Carlos;
Massagista: Fernando Figueiredo;
Directores presentes: Carlos Antunes; António Leal; Luis Manuel.
 
Cartões: Carlos Gomes (cartão amarelo-20 minutos); Valter (cartão 
amarelo 63 minutos e depois segundo amarelo, vermelho por acumulação de 
amarelos, aos 87 minutos); Helder Esculcas(cartão amarelo aos 77 
minutos).
 
Algum calor não impediu que o jogo se tivesse realizado em bom ritmo e alguma velocidade, ainda que numa primeira parte sem golos e em que o  equilíbrio foi a nota dominante. Após o intervalo as equipas vieram dispostas a marcar e a proporcionar um bom espectáculo. O primeiro golo da partida foi do Vilacovense, marcado aos 63 minutos por Marco Gonçalves a 
passe de Rui Madeira. Reagiu a equipa visitada, com uma forte pressão sobre a baliza do Vilacovense e obrigando Helder Esculcas a uma portentosa exibição. Graças á inviolabilidade das nossas redes, por grande mérito de Hélder, foi até o Vilacovense que veio a marcar o segundo golo, novamente por Marco Gonçalves a cruzamento de Luis Carlos. Aos 92 minutos, já em pleno período de descontos, num lance em que praticamente as duas equipas se aglutinaram na   pequena área do Vilacovense, houve uma carga sobre Helder Esculcas, (que ficou alguns minutos lesionado) e na sequência da qual surgiu o golo dos  visitados, com um auto-golo de Kikas.
 
Próximo jogo(e último da época) dia 25 de Março no campo do  Vilacovense, pelas 15h00 com o G..D..Paradela (Lorvão).
Nuno Espinal/Marisa Antunes

comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Março 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11

19
24

25
27
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds