publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 27 Maio , 2018, 12:14

mosta sabado 070.JPG

 

Passava cerca de meia hora da meia noite de sábado, quando intérpretes e público presentes na Praça cantavam, em uníssono, a velha “Coimbra é uma lição”. E desde as 9 e meia, quando a “Flor do Alva” iniciou o programa da noite, até que os últimos acordes da mais internacionalizada melodia portuguesa de sempre era cantada na Praça, o público, que em número inusitado encheu o velho Largo do Pelourinho, não arredou pé, preso e encantado com tudo o que no palco acontecia. Noite Mágica, de facto!

A nossa “Flor do Alva”, com um repertório muito eclético, que passeou por passos dobles, músicas popular e ligeira portuguesas, música de ritmo rock, swing e outras mais, antecedeu o “Grupo do Fado ao Centro”, e mostrou-se em grande nível, arrebatando aplausos do público, que, em pé e com emoção, lhe tributou uma ovação prolongada e mais que merecida.

Depois foi o “Fado Cruzado”, um abraço entre o Fado de Coimbra e o de Lisboa, nas vozes, pela Lusa Atenas, do Dr. João Farinha e pela Cidade Capital das fadistas Filipa Biscaia e Inês Brito.

“Momento Mágico”, mesmo em frente da nossa velhinha Igreja da Misericórdia que, no arrebatamento a que as circunstâncias induziram, virou, naquela hora de fascínio, ora Sé Velha em Coimbra ora Igreja de Santo Estevão em Lisboa.

Um apontamento a registar: Filipa Biscaia é neta do Dr. Zé Quim Barbosa, casado com a Drª. Teresa Pinto Mendes. “Passei dias nesta terra que recordo com muita saudade, quando era ainda pequena. E hoje, com a emoção de tornar a esta Vila Cova, já me fartei de chorar…” disse em pleno palco no meio da sua atuação.   

Tem uma voz linda e castiça e uma simpatia irradiante. Obrigado pelos sentimentos que nos transmitiu. E obrigado ao “Fado ao Centro” pelo soberbo espetáculo que deixou em Vila Cova.

Já, em final de tudo o que na Praça se foi passando, um “efeerreá”, conduzido pelo nosso Zé Oliveira Alves, e respondido pela Malta presente, com a “cagança” que a emoção da nossa Coimbra provoca, pelas sua tradições, pelo seu sempre afetivo presente.  

Mas, a Mostra também teve uma tarde atraente, com atuações variadas a manifestarem o agrado que as nossas músicas populares provocam. O Grupo Melodias do Campo de Santa Ovaia e a Tuna de Cantares de Avô encheram a Praça com os seus cantares e qualidade musical que comprova muita dedicação e ensaio.

A Filarmónica Pomarense também esteve presente e atuou em condições menos propícias face à chuva que caiu durante a sua atuação. Mas, ainda assim, proporcionou um momento de grande agrado.

Por fim o Teatro, a fechar a tarde de atuações. Os “Gorgulhos” a mimetizarem um programa de televisão, o “Got Talent”, a interagirem com o público e a provocarem gargalhadas permanentes do público. A criatividade do Silvino Lopes sempre a surpreender.

 

Nuno Espinal        

mosta sabado 028.JPG

 

mosta sabado 040.JPG

mosta sabado 048.JPG

 

mosta sabado 056.JPG

 

 

mosta sabado 023.JPG

 

mosta sabado 010-001.JPG

 

mosta sabado 011.JPG

 

mosta sabado 035.JPG

 

 


comentários recentes
Adorei esta peça, obrigada por esta comedia e por ...
Faz sentido esta ideia da Aprendizagem Cooperativa...
sentimentos a sua família. dalila trindade costa p...
Parabéns à Flor do Alva pelo centenário que acaba ...
Visão esclarecida e preocupada de um preclaro cida...
parabéns Dª Lucília silva tudo de bom
também para si um bom ano novo senhor Nuno Espinal...
Obrigado, um bom ano também para si, Um grande abr...
Partilho, caro Espinal. Um bom ano, amigo
Na minha aldeia - Torroselo -, o leilão de oferend...
Maio 2018
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

14
16
18
19

20
22
23
24
25

29


pesquisar neste blog