Clique para Ouvir
publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 30 Setembro , 2014, 22:52

 

 

É bem verdade que o vivido se apresenta à consagração da recordação. E que quando recordamos é como se estivéssemos a viver no presente o passado. Bem razão tem o provérbio de que “recordar é viver duas vezes”.

Gosto de recordar! E se recordo um passado bem longínquo é porque a cena vivida, o ato recordado, ou a narrativa de então, são acontecimentos que me foram especiais, mesmo que aparentemente vulgares.

E tantas as vezes que recordo tempos de uma outra Vila Cova!

Por exemplo, do começo do Café do Vasco…

 

Corriam os inícios da década de sessenta. Beber um copo, em Vila Cova, praticamente só de vinho, e pouco mais, nas três ou quatro tabernas que existiam. Claro, que era exíguo para os que nas férias vinham de Lisboa, com outros hábitos, em especial o da tradicional bica.

 

Um dia, no local onde o Vasco vertia uns copos de três, houve quem o instigasse: Oh Vasco arranja aí uma cafeteira, deita-lhe café, põe-na ao lume e serve aí umas chávenas ao pessoal. O meu tio António Fernandes foi um dos incitadores. O sabor lá agradou e criaram-se, desde aí clientes fiéis. A improvisada cafetaria ganhou fama. E no ano seguinte já o Vasco, entusiasmado com o êxito, investia no espaço e dava-lhe ingredientes dignos do nome de Café, inclusive a TV de um só canal (mais não havia) a preto e branco, lá no cume de uma prateleira, em alturas propícias à causa de uns bons torcicolos.

 

Que histórias vividas no Café do Vasco! Traquinices, tertúlias, coscuvilhices, cumplicidades.

 

Em outras novidades afoitas ao negócio, recordo-me do famoso “Gelado à Vasco”. Um cubo de água com alguma groselha, uma hora de frigorífico e aí estava o gelado. Depois, uma chupadela bastava e o que restava era água gelada. Valia por esse efémero gosto a groselha e principalmente pelas saborosas gargalhadas de ressaca. Também por cinco tostões!…

 

Um dia, com toda a sua bagagem, o Café mudou de sítio, numa andança de poucos metros, e instalou-se em novas vistas com o nome de “Mira Rio”. Lá foi cumprindo a sua função, até que se fartou. Vila Cova a perder gente e reflexos óbvios na escassez da clientela. Deixou, o negócio,  de valer a pena e em resultado o encerramento do saudoso Café.

 

Mas ficará para a história de Vila Cova. O primeiro “Café” de Vila Cova.

Um abraço amigo Vasco.

 

 Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 28 Setembro , 2014, 23:11

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 27 Setembro , 2014, 21:30

 

 

Foto de Arquivo

 

A Direção da Filarmónica Flor do Alva publica a lista de donativos recolhidos para a compra do novo estandarte e ainda de um trombone de vara. Agradece a todos os que colaboraram para que estas aquisições fossem exequíveis e realça a pessoa da Sr.ª Dª Iracema Leal que, através das suas diligências, possibilitou a compra do estandarte num estabelecimento em Braga por metade do preço que outros estabelecimentos propunham.

 

Listagem de Donativos para a Bandeira e o trombone de Vara da Filarmónica Flor do Alva

 

Alberto Artur J. Leal                                           50,00

Maria Augusta C.F. Pereira                               20,00

José Artur Leitão                                                 7,50

F. H. van Ruyven                                               94,70

Dr. Nuno Alberto F.C. Espinal                           40,00

João Gonçalves                                                 20,00

Anónimo                                                             50,00

Anónimo                                                           100,00

Anónimo                                                            10,00

António G. Almeida                                           10,00

Anónimo                                                            20,00

Antero Madeira                                                  20,00

Jorge Fernandes                                               20,00

Dr. José Oliveira Alves                                      50,00

Anónimo                                                            55,00

Anónimo                                                          100,00

Margarida Fernandes                                       10,00

Luisa Jordão                                                      5,00

Alfredo Santos Gaspar                                    10,00

Eva Maria Fonseca Carvalho                          10,00

 

                                             Total                    702,20 Euro

 

Custo da bandeira                                           430,00

Custo do Trombone de Vara                           450,00

 

                                               Total                  880,00 Euro


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 25 Setembro , 2014, 15:15

publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 23 Setembro , 2014, 20:02

A Câmara Municipal de Arganil proporcionou aos nossos “seniores” mais um passeio, desta vez à Quinta da Malafaia, motivo para um dia de grande convívio e divertimento.

Do passeio deste ano aqui deixamos em registo algumas imagens:

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 22 Setembro , 2014, 15:25

Resta esperar para saber até quando haverá serviços médicos em Coja...

Para mim, que passei a desconfiar de tantas vantagens nos encerramentos dos serviços públicos, na verdade trata-se de mais uma machadada no interior.

Seria, portanto, benéfico que se contratassem médicos e enfermeiros ao invés de se sobrecarregar os (poucos) que ainda existem, perdendo-se - porque humanamente assim é - a devida qualidade na prestação dos cuidados.

 

Nuno Mata


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 22 Setembro , 2014, 15:03

Um nascimento é sempre algo que nos toca sentimentalmente. E muito mais nos reforça os afetos quando ele se relaciona com amigos ou até gente da vizinhança. Nasceu em Coimbra, no passado dia 12, na maternidade Daniel de Matos, uma menina, que ficou com o nome de Constança.

Os pais são de Vinhó: Ricardo Gonçalves e Sílvia Almeida.

Aos dois os nossos Parabéns. E à Constança as maiores felicidades do Mundo.

 

Manuela Antunes


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 21 Setembro , 2014, 12:44

 

A Joana com os pais e o tio, António Tavares, (à esquerda) Presidente da União das Freguesias de Vila Cova e Anceriz.

 

Tem 12 anos de idade, frequenta o Agrupamento de Escolas de Arganil, nasceu em Coimbra e vive em Casal de S. João, localidade à qual está ligada pela naturalidade de quase toda a família.

E se, nesta breve anotação, os referenciais que a apresentam se quedam por algo que a não catapultam, a Joana Inês dos Santos Tavares, é este o seu nome, ganha outro relevo, quando é distinguida e publicamente anunciada como autora de um livro de histórias.

O livro tem o título de “30 Histórias para crianças” e foi ontem, sábado, lançado no “Auditório da Cerâmica Arganilense” em cerimónia presidida pela vereadora da cultura da CMA, Dr.ª Paula Dinis.

O título do livro diz tudo. São mesmo histórias para crianças que os seus professores incitaram à publicação. Mas, histórias que podem ser lidas com gosto por um qualquer adulto. E na contracapa do livro pode-se ler:

“Cada história tem por de trás um cheiro da vida real. Todos nós vivemos aventuras com os nossos amigos, e a nossa família das quais acabamos por retirar sempre uma moral e por aprender alguma coisa com as novas experiências”.

Das histórias apresentamos, em aguçamento ao apetite à leitura, um interessante poema: “Um aquário é um aquário”. As representações sociais que vamos construindo ao longo da vida, fruto das socializações (como as profissões) a que estamos sujeitos, levam-nos, tantas vezes, a subjetivar o que de primário e objetivo poderá ter um objeto, como, por exemplo, (considerem-se os metaforismos no poema) um mero aquário. A Joana, ainda nos seus doze anos, sem as pinceladas que dão novos tons na construção social da vida, e no seu empírico conhecimento da realidade, vê um aquário ainda como um mero aquário. Soberba esta história, quando contada por uma criança.

Por tudo, parabéns Joana! Foste uma surpresa. Continua a surpreender-nos.

 

Nuno Espinal

 

Um aquário é um aquário

 

Para uma cozinheira, o que é um aquário?

É um pequeno mar com peixes para cozinhar.

Para um futebolista, o que é um aquário?

É uma bola para futebol jogar.

Para um contabilista, o que é um aquário?

É um carimbo para folhas numerar.

Para uma bailarina, o que é um aquário?

É uma pista de dança para dançar.

Para um carpinteiro, o que é um aquário?

É uma tábua para fazer uma mesa.

Para um sapateiro, o que é um aquário?

É um reservatório pra pôr a engraxar.

Para uma professora, o que é um aquário?

É um livro para estudar

Para uma atriz, o que é um aquário?

É um banco para representar.

E para mim, o que é um aquário?

É uma caixa com água para pôr peixes.

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 20 Setembro , 2014, 16:16

Tentou a União das Juntas, através de vários procedimentos, entre os quais a recolha de um abaixo-assinado, que o médico permanecesse em Vila Cova às quartas-feiras. Mas, para a Direção Regional de Saúde a decisão estava tomada, pelo que os serviços médicos prestados no âmbito do Serviço Nacional de Saúde ficam como já estavam planeados: com localização em Coja.

Uma decisão que parece acertada, já que este novo modelo de prestação de cuidados médicos reforça a qualidade de serviços e permite aos utentes hipóteses de usufruto de consulta médica quatro dias por semana, ainda que os vilacovenses só à quarta-feira disponham de transporte gratuito por autocarro.

A maioria dos presentes na Casa do Povo, na reunião que aconteceu ontem, sexta-feira, questionou a Mesa, constituída por responsáveis pela Direção Regional de Saúde, sobre vários aspetos referentes à estrutura e organização deste novo modelo.

O Dr. Avelino e demais membros da Mesa sossegaram os muitos vilacovenses presentes, garantindo-lhes um melhor serviço médico em qualidade e quantidade, tanto mais que as equipas médicas constituídas serão acompanhadas por técnicos de enfermagem e as fichas de doentes serão computorizadas, através do serviço em rede.

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 18 Setembro , 2014, 14:18

Comunicado

 

A União de Freguesias de Vila Cova de Alva e Anceriz informa que a sessão de esclarecimentos por parte da Direção Regional de Saúde, relativamente às Extensões de Saúde de Anceriz e Vila Cova de Alva, terá lugar na Casa do Povo em Vila Cova de Alva no dia 19 de Setembro às 18h45m.

 

 

Vila Cova de Alva, 17 de Setembro de 2014.

 

 

O Presidente da União de Freguesias

 

Antônio Manuel Antunes Tavares


comentários recentes
Parabéns Vila Cova do Alva e toda a sua gente.Um g...
eu gostaria muito de estar a ai para ajudar porque...
Também digo em relação à minha terra - "Torroselo...
parabens para a dona natalia e muitos anos de vida
Os meus sentimentos a familia gostava muito desta ...
Já agora que pintem a fachada da igreja...serviço ...
Parabéns, D. Albertina, pelos seus 95 anos e desej...
parabens e muitos anos de vida gosto muito de si
parabéns dª Albertina muito anos de vida pela fren...
Setembro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

16
19

24
26

29


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds