Clique para Ouvir
publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 31 Dezembro , 2013, 18:47

 

 

Admiro o Papa Francisco. E, a reboque do período em que nos encontramos, também eu o elejo como personalidade do ano. Mas, corro um risco. Fora do contexto próprio, exponho-me à acusação de aproveitamento da figura do Papa, na propalação de ideias políticas. Mais até: De oportunismo. E ainda mais: De defesa de ideais políticos integrados nos cânones das esquerdas.  

Mas, não é o caso. De resto, cada vez mais nos vamos convencendo de que o pensamento do Papa Francisco está acima do fato de ser de esquerda ou de direita.

O Papa Francisco é um cidadão do Mundo e, por ser Papa, um cidadão para o mundo. Quando fala no púlpito fá-lo “urbi et orbi”. E ei-lo recentemente a falar para milhares de peregrinos na Praça de S Pedro. Para milhares de peregrinos e para milhões de cidadãos de todo o mundo, através dos “média”, presentes em peso. Na oração do Ângelus, domingo passado, o Papa Francisco apelou ao respeito pelos mais velhos. Chamou-lhes “exilados escondidos”, aqueles exilados que podem existir dentro das próprias famílias, tratados como presenças que estorvam.

Se estes “exilados escondidos” têm este tratamento imerecido a nível de famílias, veja-se o que não será a nível da sociedade em geral.

Em livro há pouco lançado à venda, o Professor Adriano Moreira fala-nos de uma “geração grisalha”. E a páginas tantas refere: “Na cultura africana aprende-se que quando morre um velho desaparece uma biblioteca”.

Nesta asserção está contido um respeito enorme pelos mais velhos. A cultura ocidental teve-o como um dos seus valores. Nós, em Portugal, nos meios mais rurais especialmente, venerávamos os mais velhos com o sentimento desse valor. Respeitávamos-lhe a sabedoria. Até que o conhecimento emergente, enformado na ciência, na técnica e tecnologia, lhes subvalorizou esse saber maior, que na soma dos anos granjeava qualidade e posição.

Hoje, sem a afirmação de outros tempos, são postos à margem, como grupo permanecente numa espécie de antecâmara da morte. Para ali estão, depositados tantas vezes em asilos, que semanticamente, no dizer de Adriano Moreira, são apelidados de “lares”(1).

Retorno ao Papa Francisco. A sua mensagem correu Mundo. E com ela, uma vez mais, o apelo à consciência, à reflexão.

Mas, há que agir. E a ação tem de ser nossa, nós que fazemos parte desta grande multidão que pode ser o grande motor da história. E o grande “animus” residirá nos valores humanistas que também estão referenciados nas próprias raízes do cristianismo.

Bom Ano Amigos.

 

Nuno Espinal

 

1) Lares dos quais, felizmente, há os que humanamente cumprem. E honra seja feita aos que existem em localidades bem perto de nós.


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 28 Dezembro , 2013, 18:03

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 28 Dezembro , 2013, 12:22

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 27 Dezembro , 2013, 21:46

 

 

Não sei se vês, como eu vejo,

Pacificado,

Cair a tarde

Serena

Sobre o vale,

Sobre o rio,

Sobre os montes

E sobre a quietação

Espraiada da cidade.

Nos teus olhos não há serenidade

Que o deixe entender.

Vibram na lassidão da claridade.

E o lírico poema que me acontecer

Virá toldado de melancolia,

Porque daqui a pouco toda a poesia

Vai anoitecer.

 

Miguel Torga


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 27 Dezembro , 2013, 20:00

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 26 Dezembro , 2013, 21:22

 

 

Prosseguem as obras de beneficiação do edifício da Igreja Matriz, com o prazo de conclusão a avançar no calendário, relativamente ao inicialmente previsto, não sendo mesmo possível adiantar uma data termo da empreitada. E isto porque surgiram algumas fissuras a nível do teto que têm de ser corrigidas, a fim de impedir a infiltração de águas nas paredes.

O próprio Padre Rodolfo Leite adiantou que é preferível que os trabalhos avancem com ponderação e sem pressas, com o propósito de que não restem mazelas que a seu tempo iriam criar problemas.

Daí que a próxima Missa de Ano Novo venha a ser rezada na Igreja da Misericórdia.

Entretanto, proximamente vai ser realizado um peditório para o custeamento das obras, estando para isso previsto um concerto da Flor do Alva.

Espera-se um bom contributo dos vilacovenses, inclusivamente os que se encontram a residir em locais que não Vila Cova.

Oportunamente informaremos o procedimento que os vilacovenses residentes em Lisboa, Coimbra e outras paragens poderão adotar para fazerem chegar o seu contributo ao fundo de custeamento das obras.

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 25 Dezembro , 2013, 16:09

 

Um facto que ficará para a história contemporânea de Vila Cova: A Missa de Natal de 2013 ter sido rezada na velhinha Igreja da Misericórdia. Encheu-se de fiéis, apesar do mau tempo que se fez sentir neste dia 25 de Dezembro: Chuva intensa e vento.

A Missa foi celebrada pelo Sr. Padre Rodolfo Leite, acolitado pelo leigo, Sr. António Santos.

 

NE

 

 

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 24 Dezembro , 2013, 18:35

publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 23 Dezembro , 2013, 18:13

 

 

Na Casa do Povo, em Vila Cova, muita foi a animação, não fossem as crianças as grandes protagonistas da Festa.

Houve música, primeiro com um sabor bem popular, através de um grupo de concertinas e depois, com tocatas variadas, que na sua interpretação foram executadas pelos músicos mais jovens da Flor do Alva.

Até que surgiu, com uma sacola atulhada de presentes, o famoso Pai Natal.

Por fim as iguarias trazidas por pais e amigos das crianças.

Cumpriu-se, assim, mais uma festa para os petizes da novel União das Freguesias de Vila Cova e Anseriz.

Os miúdos gostaram e os familiares e amigos não lhes ficaram atrás.

Ah! Também, dedicada às crianças, em Casal de S. João houve festa e da boa, na senda da tradição natalícia da aldeia.

E quando tudo corre bem só temos de nos regozijar e abençoar esta quadra por proporcionar às crianças momentos de verdadeira alegria e bom convívio.

Pena que o Natal por todo o Mundo não chegue a todos os meninos.

 

Nuno Espinal

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 22 Dezembro , 2013, 22:33



comentários recentes
os meus sentimentos a família
É COM SINCERA TRISTEZA E DESOLAÇÃO QUE VEJO, TAMBÉ...
ola tenho saudades do meu António neves e um grand...
Estes comentários tão sentidos do Nuno e do Zé, es...
Adeus meu Querido Alberto. Obrigado pela tua amiza...
Meu sentinentmis à famílus.awuele amigo abraço ami...
Como sempre, texto a condizer com a realidade dos...
Tão lindos! Beijinhos e boas férias para todos.
Muito bem.abraço a tds vós amigos de longa data
Dezembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

19


29
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds