Clique para Ouvir
publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 31 Maio , 2012, 17:44

 

 

O ano passado, por altura do nosso “IV Encontro”, posso garantir que poucos ou quase nenhum de nós o conhecia. Num instante virou vedeta e tornou-se um dos nossos mais famosos. Uma razão porque sobressai: A sua Arte na pintura, tendo brindado Vila Cova com óleos sobre tela que ficam para a posteridade. Outra razão de monta; as suas simpatia e manifesta solidariedade. Um gesto há que diz muito, a comprovar estas qualidades humanas. A oferta de dois quadros seus ao grupo da “Malta”, um sorteado, outro leiloado cuja receita reverteu para a Santa Casa de Misericórdia.

Sem dúvida que nos está no coração, este “corvacho” que nunca esqueceu a sua terra de nascimento e que nós todos temos como um amigo de eleição.

Obrigado Jorge Fernandes!

 

Texto: Nuno Espinal

Foto: José Artur Leitão


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 30 Maio , 2012, 17:56


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 30 Maio , 2012, 07:50

Olá. Boa noite Nuno,

 

Através de ti, com um pedido grande de desculpa ao Fernando Pessoa, vão estas palavras para todos os que, presencialmente ou em espírito, estiveram este fim-de-semana em Vila Cova:

 

 

 A nós

Que soubemos preservar os afetos

 

 

 

Passou pelo tempo

incólume a amizade

Foi ainda ontem

depois de tantos anos

Estamos na mesma

embora tão diferentes

Nos desencontros

que a vida

nos marcou

o nosso encontro

é essa coisa  linda

que o poeta n’isto

apenas aflorou

pois no terraço

sobre outra coisa ainda

está  o nosso afeto

que não nos falha ou finda.

 

 

 

Com um abraço da Isabel Madeira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 29 Maio , 2012, 07:51

 

As férias escolares dos anos “60” traziam a Vila Cova estudantes vindos de Lisboa, Coimbra e Porto, que aqui passavam os meses de Junho a Setembro, dando à aldeia uma outra movimentação e colorido. De manhã à noite, nas algazarras e brincadeiras típicas dos seus jovens anos, enchiam Vila Cova com as suas traquinices, as suas irreverências, mas sempre nos limites que o bom decoro exigia. Iam até mais longe. Na sua intenção de serem participativos no então chamado “progresso da terra” promoviam “récitas” cujas receitas eram usadas em fins sociais da aldeia.

As “récitas” não eram mais que um mostruário das suas habilidades, quer em pequenas peças de teatro, quer em cantorias, quer em números de humorismo, enfim, numa demonstração das suas amadoras artes.

O certo é que o povo todo aderia a estas “récitas”, que tinham lugar no Salão Paroquial, com o beneplácito e bênção do bondoso e saudoso Padre Januário.

De entre as peripécias das récitas houve uma que deu brado e ficou famosa. A recriação dos afamados “Beatles”, ao som do “Twist and Shout”, quadro este protagonizado por mim, meu irmão Quim, o Zé Oliveira Alves e o Toneca (António Gabriel de Almeida). Aquilo foi um verdadeiro desatino. Com um cenário todo avermelhado por lâmpadas coloridas, os interruptores em ação intermitente a ritmarem ainda mais o ambiente, os corpos dos desvairados “beatles” em movimentos de convulsão, a coisa foi de tal maneira louca que ainda o frenético twist não tinha chegado ao fim já as improvisadas baterias e guitarras estavam desfeitas em fanicos.

O povo ria a bandeiras despregadas e a destabilização foi de tal ordem que houve que esperar largos minutos até a récita poder recomeçar.

Hoje todos recordamos este momento com saudade e, sinceramente, não evitamos um largo sorriso quando o evocamos.

Evocação esta que foi mesmo feita no nosso “V encontro”, com uma brincadeira do Antero Madeira, que improvisou uns bem imitados “discos de ouro”, que foram ofertados aos “Beatles Baratos” de então.

Que saudades…

 

Texto: Nuno Espinal

Foto: Alberto Leal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 28 Maio , 2012, 18:32

 

Quem de nada soubesse sobre o que se passava na Praça perceberia, sem dificuldade, da forte empatia entre um basto aglomerado de pessoas, de um lado, e, do outro, uma senhora, que recebia fortes afetos, através das palavras e aplausos que lhe eram dirigidos.

Tratou-se da homenagem à Professora Georgina Fânzeres, que durante 25 anos preparou para a vida muitas crianças vilacovenses, presentemente já bem adultas, algumas até já avós.

Foram estes antigos alunos que prestaram à Professora Gininha, numa comovente cerimónia, que contou com o apoio da Junta de Freguesia, o tributo por tudo o que a sua inesquecível Mestre lhes proporcionou e ensinou e que tão de útil lhes tem servido ao longo da vida.

A cerimónia teve lugar marcado, ontem à tarde, na Praça, na decorrência da “Mostra de Lavores e Sabores”, e teve o seu epílogo no Largo de Recreio da Escola, onde foi descerrada uma placa com o nome da homenageada.

 

Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 28 Maio , 2012, 12:36

 

 

 

Grande tarde de domingo da “Mostra”, com a “Praça” cheia de povo e as atuações a sucederem-se sem quebras e com manifesto agrado dos espetadores. Mesmo o Jazz, um tipo de música estranha para os hábitos de ouvidos afeitos à música popular e pouco ou nada habituados à audição de tipos musicais na sua configuração urbanos, foi apreciado com o maior respeito, face à mestria e sensibilidade do norueguês Ingebright Haker-Flaten, instrumentista de contrabaixo, com grande reputação internacional.

Recorde-se que a presença do Jazz na “Mostra” se deveu à ADXTUR, no âmbito da Rede das Aldeias do Xisto e, em rescaldo final, pode considerar-se que foi uma aposta ganha, atendendo até à atenção que despertou em muitos jovens, que seguiram com toda a concentração a atuação de Ingebright Haker-Flaten, seduzidos pelas suas mestria e sensibilidade musical.

Entretanto, terminada a atuação do jazzista norueguês, tornou a “Mostra” à sua naturalidade, com a atuação da “Tuna de Cantares de Mouronho”, que trouxe ao recinto melodias conhecidas e muito populares, que foram cantaroladas por muitos dos presentes. Curiosa a homenagem deste grupo à ”Briosa”, na sequência da sua última vitória na Taça de Portugal e porque se trata afinal da equipa principal do nosso distrito, conforme as palavras de um diretor da Tuna.

Seguiu-se o “Rancho Folclórico Malmequeres da Cerdeira”, com uma atuação de encher o olho a dignificar, e de que maneira, a terra que representa.

Finalmente, e a fechar esta “Mostra” com chave de ouro, “a fantástica Filarmónica Flor do Alva”, tal qual as palavras da Presidente da Freguesia, Dr.ª Cidalina Lourenço. Uma atuação em grande nível e muito trabalho qualitativo por parte do Maestro, com a apresentação da Escola de Música. Parabéns. A este assunto havemos de regressar, nas páginas do “Miradouro”. Quanto à atuação da Filarmónica, os vilacovenses tiveram uma prova, se dúvidas houvesse, de que dela se podem continuar a orgulhar. Em grande nível, a “Filarmónica” suplantou todas as expetativas.

E pronto! Com a  Flor do Alva terminou esta “Mostra”. A Terceira “Mostra”, talvez de todas a melhor. Os vilacovenses saíram satisfeitos do recinto da Praça. Os vilacovemses e as centenas de visitantes que este fim de semana rumaram até Vila Cova saíram e deram por bem aproveitado o tempo que lhes ocupou a “Mostra”. E quando assim é só temos todos de nos sentir orgulhosos. Parabéns à Presidente da Junta, ao Secretário, Sr. António Tavares e a todas as Instituições da Freguesia que colaboraram e trabalharam pela “III Mostra”.

 

Nuno Espinal

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 27 Maio , 2012, 12:31

 

 

Houve quem o fizesse. Seiscentos quilómetros de ida e volta, feitos no mesmo dia. Mas, pelo convívio vale sempre a pena. Pelo convívio e pelo reencontro, onde se trocam abraços sinceros, se comprazem recordações, se arrebata o passado.

O “V Encontro da Malta” foi o êxito esperado. Encontro de amigos, alguns velhos amigos de há mais de cinquenta e até sessenta anos, encontro de afetos.

Venha o VI.

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 27 Maio , 2012, 12:21

Aos poucos a Praça foi-se enchendo e à noite já comportava uma multidão de gente. Os grupos e artistas iam-se sucedendo, perante o entusiasmo de vilacovenses e visitantes.

A primeira atuação aconteceu com as “Frans”, Tuna Feminina da Universidade de Coimbra.  Depois subiu ao estrado o Rancho “As Flores de Casal de S. João”. Ainda era dia, foi a vez do “Grupo de Cavaquinhos de Oliveira do Hospital”. Caiu, entretanto a noite. Muito povo para assistir à atuação da Filarmónica “Pátria Nova de Coja. A finalizar, o grande momento: O “Magana Traditio”, Grupo de Fados de Coimbra.

Um segundo dia desta “III Mostra” e mais uma vez um êxito.

 

Nuno Espinal

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 27 Maio , 2012, 11:38

 

Ontem, cerca das 18 horas, Vila Cova foi marcada por um acontecimento de grande importância para a perpetuação da sua história: O lançamento do livro “O Convento de Santo António de Vila Cova de Alva - Um marco religioso da Sintra das Beiras”, da autoria de Victor Cardoso.

A sessão foi dirigida por Nuno Mata, peça fundamental para que esta publicação fosse lançada ao prelo, pelas diligências com que se empenhou e pela sua participação na composição gráfica, desenhos e fotografias do livro.

Contudo, como diria Nuno Mata, esta obra a existir só de deve porque teve um autor: Victor Cardoso.

A sessão teve intervenções, para além de Vitos Cardoso e de Nuno Mata, do Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Santa Casa de Misericórdia de Vila Cova, a quem se deve a edição do livro, Oliveira Alves e da vereadora do pelouro da cultura do Município de arganil, Paula Dinis.

Foram vendidos no primeiro dia quase 100 exemplares desta obra, que passa, a partir de agora, a poder ser adquirida nos Serviços do Centro de Dia.

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 26 Maio , 2012, 08:07

 

Começou em grande a “III Mostra de Sabores e Lavores”. Após a cerimónia de abertura, que teve como principal anfitriã a Presidente da Freguesia, Dr.ª Cidalina Lourenço e contou com a presença do Presidente da Câmara, Eng. Ricardo Pereira Alves, e da vereadora da Cultura, Dr.ª Paula Dinis, o espetáculo da noite de sexta-feira, teve como atração o grupo “Sons e Suadelas”, um grupo de concertinas, que atraiu à Praça, em Vila Cova, um considerável número de visitantes.

 

 

 

 


comentários recentes
Parabéns Vila Cova do Alva e toda a sua gente.Um g...
eu gostaria muito de estar a ai para ajudar porque...
Também digo em relação à minha terra - "Torroselo...
parabens para a dona natalia e muitos anos de vida
Os meus sentimentos a familia gostava muito desta ...
Já agora que pintem a fachada da igreja...serviço ...
Parabéns, D. Albertina, pelos seus 95 anos e desej...
parabens e muitos anos de vida gosto muito de si
parabéns dª Albertina muito anos de vida pela fren...
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12


20
25



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds