Clique para Ouvir
publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 29 Fevereiro , 2008, 01:39
Ainda que falecido, já lá vão mais de 20 anos, o vilacovense Dr. Júlio Gouveia continua a ser recordado por muitos os que na Figueira da Foz não esquecem as suas qualidades de homem e de médico. E hoje, no dia em que se completam 100 anos do seu nascimento, a sua memória é evocada com várias referências, em especial na imprensa local, que evidencia os seus dotes e mérito enquanto cirurgião e médico, destacando ainda a sua entrega profissional desinteressada, reveladora de um grande humanismo.
Em Vila Cova é muitas vezes recordado por um gesto que lhe era típico na noite de consoada. Oferecia bacalhau, quanto bastasse, que era cozido no cepo que ardia na Praça e bem saboreado por todos aqueles que aderiam ao convívio muito especial daquela noite, logo após a Missa do Galo.  
Na foto surge com a sua esposa, também já falecida, Dª Maria José Loureiro Gouveia pousando com a então noiva Drª Manuela Cruz. Uma cena entre muitas que o Dr. Júlio viveu na sua Vila Cova, a sua terra natal que permanentemente visitava, sempre acompanhado da esposa e da afilhada, Dª Luísa Jordão.
 
 
Nuno Espinal 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 29 Fevereiro , 2008, 00:54
CAMPEONATO DO INATEL – ÉPOCA 2007/2008:
 
Série B
 
Jogos:
 
16ªJORNADA (24/02/08
 
Vila Cova 3 – 1 Candosa      
Sto. António do Alva 2 – 2 Aldeia das Dez
Lourosa 2 – 1 Bobadela
 
Folga: Seixo da Beira e Alvôco de Várzeas.
 
Pos.
EQUIPAS
J
V
E
D
GM
GS
PTS
Seixo da Beira
14
9
3
2
22
15
-12
Aldeia das Dez
14
9
1
4
26
18
-14
Vila Cova
14
7
5
2
23
15
-16
Alvôco de
Várzeas
15
9
2
4
24
20
-16
Candosa
14
8
2
4
19
14
-16
Lourosa
14
5
3
6
20
20
-24
Bobadela
14
3
3
8
17
21
-30
Sto. António do Alva
14
1
5
8
11
36
-34
   
     Vilela **
15
0
2
13
5
42
-43
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
         
 
 ** Vilela irradiado do Campeonato do Inatel por irregularidades desportivas.    
Nota: Pontuação conforme regulamento do Inatel.

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 29 Fevereiro , 2008, 00:24

Olá boa tarde,
Pela primeira vez participo neste fórum.
Quero desde já dar os parabéns a toda a equipa do miradouro, pois considero uma iniciativa de louvar.
No que diz respeito aos nomes das ruas de Vila Cova acho interessante a ideia.
Rua da Associação Filarmónica, acho que sim, devemos sempre enfatizar e preservar o património cultural da nossa aldeia. Contudo, deixo aqui uma sugestão e, desde já, desculpem os que não concordarem. Devemos homenagear também, por exemplo, pessoas que de alguma forma contribuíram com algo positivo para Vila Cova ou para os vilacovenses e, principalmente, que a pessoa homenageada participe do evento, pois defendo que é em vida que devemos fazer felizes os que nos são queridos.
Neste sentido, deixo a sugestão: Rua Profª. Georgina Fânzeres (Gininha), a professora que acompanhou todo o meu (e não só meu) percurso escolar básico.
Cumprimentos a todos,

Elsa Gordo
 
 
 
 
Caríssima Elsa, antes de mais cumprimentos do outro lado da rua.
Já agora, porque não chamar à zona do Adro (no Largo à frente da igreja), Largo Januário Lourenço dos Santos?
 
João Antunes

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 27 Fevereiro , 2008, 23:37

A toponímia vilacovense está na ordem do dia. E aberta à discussão pública, sucedem-se as opiniões, sucedem-se os comentários. Ainda assim, a proposta apresentada não parece que venha a provocar, na sua generalidade, atitude reactivas ou discordantes, a não ser em pequenos pormenores ou em meras sugestões de alteração a um ou outro nome de rua.
Entretanto, duas opiniões chegaram ao “Miradouro”.
 
 
 Acho muito bem os nomes das ruas, mas penso que deveria haver uma rua "Sociedade Filarmónica Flor do Alva".
Por causa da importância que tem na Freguesia, porque leva o nome de Vila Cova de Alva a todo o Portugal!!!
 
Assina Bruno Santos
 
 
 
Mesmo não sendo de Vila Cova de Alva, acho bastante interessante atribuir o nome da Associação Filarmónica Flor do Alva a uma Rua da Vila. No meu entender, até apresentar aqui no Miradouro um questionário, para os nossos visitantes poderem votar SIM ou NÃO esta sugestão.
Os nomes a atribuir ás Ruas que ainda não o têm está em discussão, a lista apresentada pela Junta de Freguesia não é definitiva, pois possivelmente só na próxima Assembleia de Freguesia (em Abril) será apresentada para votação da Assembleia, os habitantes de Vila Cova de Alva têm o direito  e o dever de se manifestarem apresentando as suas ideias ao Sr. Presidente da Junta e também votar o questionário.
É preciso elucidar o povo de Vila Cova sobre este assunto.
 
Assina António Tavares

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 26 Fevereiro , 2008, 23:37

 

Quem não reconhece o “Luís Negro”?
Homem genuíno, passou pela vida (ou a vida é que por ele ia passando?) sem preconceitos, sem inquietudes.
Dele contam-se mirabolantes histórias.
Algumas serão verdade, outras, porventura, nem tanto.
Mas é isso que o faz um homem da nossa história.
Por isso o “Luís Negro”, nesta nossa Vila Cova, pertence-nos, nas suas castiças loucuras, na lenda que até já é…
A ele voltaremos, a ele e às suas histórias…
Um brinde a ti Luís, um tinto bem sorvido num tamanco bebido…
 
 
 
Nuno Espinal
Foto cedida por Dª Natália Figueiredo

publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 26 Fevereiro , 2008, 00:39

 

Recentemente li, de Piaget, a importância que o jogo tem para a criança. O jogo, a brincadeira, e a sua intima ligação ao desenvolvimento da própria inteligência. Diz Piaget que, desde bebé até aos dois anos, a criança, nas suas brincadeiras, começa a aprender a controlar e coordenar os movimentos. São as brincadeiras de domínio. Entre os dois e os 6 a 7 anos é o jogo do fingir, do faz de conta. A criança finge que é isto ou aquilo, imagina ser outra coisa ou pessoa. São as brincadeiras simbólicas. Em fase posterior do crescimento entra nos jogos com regras. “Vou-me esconder. Tens de contar até cem. Só depois é que podes abrir os olhos. Não vale fazer batota”. São as brincadeiras com regras.
Ora, neste caminhar das fases do crescimento fui levado à recordação de uma cena passada em Vila Cova, no sitio do Adro, com a Matriz por fundo, teria para aí os meus 6 anos. Detive-me, pois, nesta parte do livro que versava as brincadeiras com regras. E porquê?
É que, na viagem ao passado a que a memória me levou, vejo-me atrás de uma bola com outras crianças, decerto a maioria um ou outro anito mais velha, e um senhor, de batina preta, com um apito, a apitar…a apitar…a apitar. As “coisas” que as apitadelas denunciavam disso não tenho na memória qualquer registo. O que eu registei é que o “Senhor do Apito” era nem mais nem menos o Sr. Prior, o bondoso Padre Januário Lourenço dos Santos.
Foi porventura este mero jogo com uma bola de futebol um primeiro, ou dos primeiros momentos, que no curso do meu crescimento e aprendizagem me terá sinalizado que há regras…as tais brincadeiras com regras.
E lá estava o Sr. Prior, atitude amiga e solidária, a fixar-se na recordação mais antiga que dele guardo.
E será assim, amigo e solidário, que o hei-de sempre recordar.
 
 
Nuno Espinal
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 26 Fevereiro , 2008, 00:29

 

A Capela de Vinho está em obras. Obras estas que estão a ser custeadas pela Irmandade da Nossa Senhora dos Remédios e de Santo Antão. O novo visual e os adornos interiores vão tornar esta Capela muito mais acolhedora.
 
 
Carla Marques
Foto: Hugo Lopes
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 24 Fevereiro , 2008, 23:50

Com mais esta vitória o Vilacovense tornou-se um muito sério candidato a um lugar no pódio. E bem razão tiveram os seus adeptos para, tal como o Sol (o jogo até começou com chuva) terem sorrido a bom sorrir no final do encontro, já que a equipa de Vila Cova, para além da vitória, evidencia boa forma e dá fortes indicações de que vai amealhar mais pontos nos jogos que lhe faltam disputar.
 
O jogo tinha como aditivo aliciante o facto do Vasco da Gama ser também uma equipa com justificadas pretensões, o que arrastou ao campo “João Rafael d’Abranches Figueiredo” muitos adeptos das duas formações.
 
Adeptos que terão dado por bem empregue o seu tempo, perante o futebol agradável a que puderam assistir, com boa entrega dos jogadores de ambos os conjuntos e sem problemas de maior no campo disciplinar.
 
Pena é que a arbitragem não tenha correspondido com um nível de exibição idêntico, não assinalando muitas faltas cometidas sobre o Vilacovense. A sina habitual…
 
Mal começou a partida o Vilacovense, aos 3 minutos, inaugurou o marcador, por intermédio de Gonçalo Lobo. Mostrando sempre superioridade, o Vilacovense, contudo, viria a sofrer o golo do empate, de resto um auto golo na sequência de um canto.
 
No segundo tempo, com o jogo um tanto mais dividido, ainda que com ligeira supremacia da nossa equipa, David Coelho desfez a igualdade aos 86 minutos e Hugo Ferreira confirmaria a vitória através de um golo convertido por grande penalidade, aos 90 minutos.
 
Constituição da Equipa:

Guarda Redes : Helder Esculcas (cap.)
Defesas: Kikas, António Cruz, Bruno Brito e Fábio Leitão;
Médios: Bruno Carvalho, Hugo Ferreira, Sergio Gaspar (substituído aos 80 mm por David) e Marco Paulo;
Avançados: Marco António e Gonçalo Lobo.

Suplentes utilizados: David Coelho
Suplentes não utilizados: Bruno Santos e Antonio Antunes.

Directores presentes: Carlos Antunes, António Leal, Renato Ribeiro, Antonio Lourenço e Luís Manuel.

 
Treinador: Carlos Gomes
 
O próximo jogo do Vilacovense, que promete dada a proximidade de pontos das duas equipas, será dia 2 de Março em Vila Cova de Alva, contra o Alvoco das Várzeas.
 
 
 
 
Nuno Espinal/Fábio Leitão (Ficha do Jogo)

publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 24 Fevereiro , 2008, 21:51
Caro Nuno
 
Não me passou despercebido o teu texto publicado no Miradouro no dia de S. Valentim. Eu também fui à Fonte dos Amores beber aquela água...
A certa altura falas no acesso à fonte que só podia ser feito de barco. Que belas recordações as que todos nós guardamos desses passeios no barco do Zé Alves, no do Fernando Vicente, no do Pinheiral, mais tarde no do Dr. Vasco, este já em fibra.
Provavelmente tens algumas fotos desses barcos. No entanto e para ilustrar estas minhas palavras, envio-te em anexo uma em que estou eu no barco do Zé Alves e outra onde aparece novamente o barco do Zé encostado na margem, enquanto eu e o Carlos Gabriel tomamos o "verdadeiro" banho no rio. Ambas as fotos são tiradas no Porto d'Avô, em Setembro de 1972.
Felizmente que todos estes momentos da nossa juventude estão registados. Afinal eles também fazem parte da História da nossa Vila Cova.
 
Antero Madeira

publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 24 Fevereiro , 2008, 18:17

Apresentaremos mais tarde crónica do jogo.

(Informação de Fábio Leitão)


comentários recentes
os meus sentimentos a família
É COM SINCERA TRISTEZA E DESOLAÇÃO QUE VEJO, TAMBÉ...
ola tenho saudades do meu António neves e um grand...
Estes comentários tão sentidos do Nuno e do Zé, es...
Adeus meu Querido Alberto. Obrigado pela tua amiza...
Meu sentinentmis à famílus.awuele amigo abraço ami...
Como sempre, texto a condizer com a realidade dos...
Tão lindos! Beijinhos e boas férias para todos.
Muito bem.abraço a tds vós amigos de longa data
Fevereiro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9


20

25
28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds