Clique para Ouvir
publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 31 Maio , 2007, 16:45

O tempo que medeia estas duas fotografias é de mais de 65 anos. Todavia o “personagem” masculino de ambas é sempre o mesmo. Muito catraio na primeira, bem maduro na segunda.  Enquanto garoto surge-nos acompanhado de duas irmãs, uma a Maria Júlia Lourenço, outra a Martinha Cruz, esta falecida muito jovem. Claro, como muitos já reconheceram, falamos do Eng. Alexandre Cruz.

Desde jovem que se fez ao sustento e foi em Moçambique que passou boa parte da sua vida. Foi lá, com mérito e esforço pessoais, que se licenciou em engenharia.

Regressado a Vila Cova, logo a pós o 25 de Abril de 74, entregou-se de alma e coração à causa da sua terra. De alma e coração e com saberes e experiência adquiridos, que muito contribuíram para obras em favor da utilidade pública vilacovense.

Vila Cova, ao Engenheiro, muito lhe deve.

Hoje, entrega-se à compilação de documentação sobre a história da nossa Terra.  

Prestamos-lhe aqui a nossa homenagem. Bem a merece.

 

 

 

 

Texto: Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 30 Maio , 2007, 23:10
XVI FESTIVAL DE FOLCLORE
DIA 17 DE JUNHO DE 2007
 
PROGRAMA:
15 H - Concentração dos grupos
 
15.30 H - Desfile dos grupos e entrega de lembranças
 
16 H - Inicio do Festival de Folclore com os seguintes grupos:
 
RANCHO FOLCLÓRICO " AS FLORES " - CASAL DE S. JOÃO
 
RANCHO FOLCLÓRICO 5 ESTRELAS DE ABRIL - GRÂNDOLA
 
RANCHO FOLCLÓRICO DO CENTRO SOCIAL DE AGUIAR - BARCELOS
 
RANCHO FOLCLÓRICO DE S. JOÃO DA SERRA - OLIVEIRA DE FRADES
 
 
 
Notícia: António Tavares

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 30 Maio , 2007, 12:33

Nos extremos da foto estão o Sr. António Gabriel e a Dª Celeste Gabriel.

Depois, da esquerda para a direita os quatro filhos: Augusto, Fernando, Carlos e Manuel. A foto terá sido tirada no anos 40. Todos estão falecidos.

Os Srs. Augusto e Fernando viveram sempre em Vila Cova.

Augusto Gabriel era um exímio tocador de saxofone, músico imprescindível da Flor do Alva.

Já o Fernando Gabriel era dono de uma taberna (hoje Café da Zira) famosa pelos petiscos e local ainda de renhidas “suecadas”. Famosa, também, era a sua “Cova Funda”, de suculentas patuscadas e saudosas tertúlias. Além do mais "desenrascava-se" na arte de enfermeiro, sendo, por isso, uma excelente mais valia para a terra.

Os actuais descendentes da família vão organizando a vida por outras paragens, pelo que, alguns anos mais, e os rastos dos “Gabriéis” apenas deixarão marcas em álbuns de memórias.

 

 

 

Foto cedida pelo Sr. José Carlos Gabriel, filho do Sr. Carlos Gabriel

   


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 29 Maio , 2007, 14:49

Percorra, qualquer mortal, todo o curso do Rio Alva no espaço geográfico do concelho de Arganil. Apostamos que de imediato retira esta conclusão. De todas as localidades bafejadas pelas margens e leito do Rio, uma única, e não mais do que uma única, não tem Praia Fluvial.

Uma única localidade? E que localidade?

Ah! Está-se mesmo a ver…Vila Cova do Alva.

O quê? Pode lá ser? Logo Vila Cova, com margens de uma beleza a cativarem o mais insensível?

Muitos argumentos poderão, de facto, reverter em prol de Vila Cova. Mas há um factor a condicionar qualquer benefício. A sua marginalização pela edilidade concelhia. Há muitos anos que assim tem sido. E pelos vistos poderá continuar a ser.

Contudo, Senhor Presidente e Senhores Vereadores…deixamos-lhes o benefício da dúvida. É que ainda lhes restam mais de dois anos.

Vila Cova merece mais.

 

 

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 29 Maio , 2007, 11:44

Casa Regional de Vinhó

63º Aniversário 


 Prezado associado (a):


A Casa Regional de Vinhó vai comemorar mais um aniversário, no próximo dia 21 de Junho.

Como não queremos que esta data passe despercebida, a Direcção decidiu, por bem, realizar um almoço de confraternização no dia 24 de Junho, Domingo, pelas 13 horas no salão da colectividade.
Da ementa constam:

Sopa de Legumes, Bacalhau à Brás, Cozido à Portuguesa, sobremesa e bebidas.

O preço por associado é de 15 euros: As crianças, até 10 anos, pagam metade e para os não sócios o preço é de 16 euros.

Os interessados deverão inscrever-se até ao dia 15 de Junho. As inscrições processar-se-ão por lista afixada  no Bar da Casa Regional ou por contacto telefónico:

Armando Silva     235728007/
Eusébio Santos    235728994

A Direcção da Casa Regional agradece desde já a sua atenção, contando com a
sua presença.


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 28 Maio , 2007, 17:17

Homenagem à Dª Anita

 

 

O Engenheiro Fernando Vicente foi aluno da Professora. Marcou presença, ontem, na cerimónia de descerramento da placa que atribuirá o nome de Ana Conceição Gomes Figueira á rua, até aqui, chamada de Outeiro.

Compenetrado a assistir a todo o cerimonial, confessou o seu grande reconhecimento pelo gesto da Professora, que há cerca de 45 anos foi determinante, junto de seus pais, para que lhe tivesse sido possível continuar o seu percurso escolar, que veio a culminar na sua licenciatura em Engenharia. “A não ser assim hoje o meu estatuto profissional estaria muito aquém do que vim a conseguir.”, ia-nos dizendo, vincando quão grato estará, para sempre, à atitude da Professora.

E muitos mais testemunhos de gratidão poderiam ser recolhidos em grande número dos que da Dª Anita foram alunos na velha escola primária de Vila Cova.

E todos reveladores da merecida homenagem prestada à saudosa Professora, que durante cerca de 40 anos se dedicou à causa do ensino básico em Vila Cova.

Foi uma homenagem simples, mas com alto significado.

Presentes a família e o Presidente da Câmara, Eng. Ricardo Pereira Alves, que pessoalmente expressou, em discurso na Casa do Povo, a associação da Câmara a esta homenagem.

Outras intervenções, proferidas pelo Presidente da Junta, Sr. Alfredo Lourenço e pelo Dr. Nuno Espinal, ambos ex-alunos da homenageada, salientaram a devoção e solidariedade que a “Velha Mestra” sempre demonstrou para com os seus alunos e o próprio Povo de Vila Cova.

Um sobrinho da Professora interveio para agradecer e referir a entrega e permanente disponibilidade da Tia para com Vila Cova e o seu Povo.

 

 

Texto e Fotos de Ana Cristina Oliveira


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 26 Maio , 2007, 21:37
No passado dia 7 de Abril, a Filarmónica Flor do Alva fez 89 anos de idade. Ora, o aniversário de uma Instituição, com o peso e história da Filarmónica Flor do Alva, merece ser festejado. É precisamente isso que vai acontecer no próximo Domingo, dia 3 de Junho, através da realização de um almoço, marcado para as 13, 30 h, no Salão da Casa de Povo, onde vão conviver músicos, sócios e amigos da Flor do Alva.

Ementa:

Entradas
Canja
Lombo, acompanhado com batata frita, arroz e salada.
Doces regionais
Bolo de aniversário

Preço: 9 € (Sócios), 10 € (Ñ/Sócios)

A organização do almoço é da Direcção da Filarmónica, que conta com o apoio de amigos e associados.

Inscrições online até 4ª feira

Email: filarmonicaflordoalva@gmail.com
Fábio Leitão

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 26 Maio , 2007, 17:49
Torneio de Coja
 
Vilacovense 3  
Talho Bruno Nunes 2
 
 
Habituados às muitas goleadas com que o Vilacovense costuma brindar os adversários, quase estranhamos quando o resultado apenas expressa uma vitória tangencial. Mas, em abono da verdade, há que considerar que se a vitória do Vilacovense é indiscutível, um resultado que expressasse uma diferença de golos para além da diferença mínima, penalizaria demasiado a equipa do Talho Bruno Nunes, que se bateu muito bem durante todo o jogo, em especial na segunda parte.
Há razões, contudo, que justificam um desempenho não tão conseguido dos Vilacovenses. A ausência de quatro jogadores que costumam ser preponderantes na manobra da equipa e um certo “facilitismo”, verificado depois da equipa ter estado vencer por três bolas a zero.
Refira-se, ainda, que o árbitro, em muitos lances, prejudicou o Vilacovense.
 
A equipa alinhou com:
 
Helder Esculcas (guarda-redes), Carlos  Gomes (capitão), Paulo Ribeiro, Zé-Tó, Marco Martins, Marco Gonçalves, Luís Carlos e João Dias.
 
Marcadores: Zé-Tó, Marco Gonçalves e João Dias
 
 

Treinador: José C. Quaresma.

Directores presentes: Carlos Antunes; António Leal. Massagista: Fernando Figueiredo.

No próximo jogo, a ser disputado a 01/06/2007, a partir das  22h00, o G.D.Vilacovense, actual guia do Torneio, defrontará o Noctívago-Bar.
 
 
 
 
Marisa Antunes

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 25 Maio , 2007, 00:43
Aqui há uns tempos, quando procurei a um jovem músico quem era o Mestre da Filarmónica, desde logo obtive uma incisiva resposta: “Ainda não sabe? Olhe que é um Mestre à séria…”.
Confesso que a singularidade da resposta logo me acicatou a vontade de assistir a uma exibição, fosse onde fosse, da Filarmónica e pouco tempo passado pude satisfazer o desejo.  
Foi então que me apercebi de bastas razões para tão convicta resposta.
A 1ª é imediata pela percepção visual. É que o Mestre é um jovem, um jovem entre jovens que se afirma como tal. Mas atenção! Mantém uma atitude compenetrada e disciplinadora que trava excessos, sempre imanentes a tão moças idades. E é esta mesma atitude que cativa os mais velhos, proporcionando um equilíbrio em que todos convivem em ambiente de concórdia.
Depois, um segundo motivo do equilíbrio, construído na variedade do repertório musical, agradando sobremaneira aos jovens nas incursões ritmadas do swing ”, mas não descurando o gosto dos mais velhos, nos velhos e novos passe dobles, nas velhinhas e mais recentes modas encadeadas em rapsódias.
Tudo isto e mais um fundamental factor a garantir um trabalho de seriedade, qualidade e motivação: a formação musical do “Mestre”. “Mestre” como educador e professor musical e “Maestro” como regente, a afirmar a “Flor do Alva” como um conjunto unitário muito apreciado pelos vilacovenses .
Somos todos fãs.
 
Rui Manuel Reis Quaresma, natural de Oliveira de Azeméis, com 25 anos de idade.
Licenciou-se em 2005 no Curso de Professores de Educação Musical do Ensino Básico pela Escola Superior de Educação de Coimbra, obtendo no mesmo ano a equivalência ao 8º grau do Conservatório de Música de Coimbra.
 
 
 
Texto: Nuno Espinal
Fotos: Fábio Leitão

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 24 Maio , 2007, 01:10

 

 

Dos vários subgrupos de instrumentos que compõem a Filarmónica Flor do Alva o dos clarinetes é o que conta maior número (6) de executantes, os quais já foram apresentados em  edição anterior. Segue-se o da precursão com 4 e constituído por:
 
David Alexandre Lourenço Mendes Coelho, de Vila Cova, com 15 anos de idade, estudante;
Carlos Alberto Silva Nunes, de Vila Cova, 45 anos, pedreiro;
Paulo Tavares, de Casal de S. João, 37 anos, pedeiro;
Bruno Alexandre Pinto dos Santos, de Vila Cova, 17 anos, estudante.
 
O trompete surge isolado como subgrupo. É seu executante Pedro Jorge Assunção Nunes, de Vila Cova, de 23 anos e electricista.
 

comentários recentes
os meus sentimentos a família
É COM SINCERA TRISTEZA E DESOLAÇÃO QUE VEJO, TAMBÉ...
ola tenho saudades do meu António neves e um grand...
Estes comentários tão sentidos do Nuno e do Zé, es...
Adeus meu Querido Alberto. Obrigado pela tua amiza...
Meu sentinentmis à famílus.awuele amigo abraço ami...
Como sempre, texto a condizer com a realidade dos...
Tão lindos! Beijinhos e boas férias para todos.
Muito bem.abraço a tds vós amigos de longa data
Maio 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

19


27


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds